ACESSO RESTRITO

FEBRAPSI - Federação Brasileira de Psicanálise



Febrapsi notícias

jornal 56 capa.pdf

Revista Brasileira de Psicanálise

Revista Brasileira de Psicanálise

FEBRAPSI - Federação Brasileira de Psicanálise

QUEM SOMOS › HISTÓRICO DA FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PSICANÁLISE

Quem Somos

A FEBRAPSI foi fundada em 1967 como Associação Brasileira de Psicanálise (ABP) e construiu uma história que marcou o pensamento psicanalítico brasileiro.

Congregando as sociedades psicanalíticas brasileiras filiadas à Associação Psicanalítica Internacional (IPA), organiza e fortalece suas atividades de divulgação, difusão e ensino da psicanálise em nosso território, assim como a participação na Federação Psicanalítica da América Latina (FEPAL).

A organização da FEBRAPSI está assim constituída: Conselho Diretor, Conselho de Presidentes e Assembleia de Delegados que é o órgão que decide sobre as propostas apresentadas pelo Conselho Diretor e pelo Conselho de Presidentes.

A cada dois anos organiza um Congresso Brasileiro de Psicanálise, cuja função principal é debater temas e questões psicanalíticas de interesse da comunidade de psicanalistas e profissionais de áreas afins.

Além da preocupação com os rumos e a prática da psicanálise, com a qualidade da formação do psicanalista, a FEBRAPSI e suas federadas buscam cada vez mais a interação com organizações científicas, acadêmicas e culturais.

Atualmente com mais de dois mil e cem membros, congregamos 13 sociedades e 3 grupos de estudos, além de 9 núcleos psicanalíticos, cujas federadas estão sediadas em 16 estados do Brasil mais o Distrito Federal.

Grande parte das federadas promove atividades abertas ao público, tais como palestras, simpósios, debates de filmes, entre outros.

Diversas federadas mantêm centros de atendimento à comunidade, possibilitando trabalho psicanalítico a pessoas interessadas.

A FEBRAPSI publica a cada seis meses o “Febrapsi Notícias” que é encaminhado a todos os membros e também a um público externo interessado, tais como estudantes das áreas de psicologia e medicina. Essa publicação tem procurado levantar temas psicanalíticos de interesse, divulgar o tema do Congresso Brasileiro de Psicanálise e ampliar o intercâmbio entre as federadas.

Publica também uma revista científica, a “Revista Brasileira de Psicanálise”, dedicada a difundir a psicanálise brasileira em sua expressão de melhor qualidade e manter o meio psicanalítico brasileiro informado da produção editorial atual, da produção psicanalítica internacional e particularmente da produção latino-americana.

Como princípio geral, a FEBRAPSI tenta levar à comunidade uma ampliação da visão do ser humano na tentativa de compreendê-lo em seus diversos aspectos conscientes e inconscientes.

UM POUCO DE NOSSA HISTÓRIA

A Associação Brasileira de Psicanálise começou em 6 de maio de 1967 com 4 sociedades: Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP), Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro (SPRJ), Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ) e Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Nos dois primeiros anos de sua fundação a ABP foi administrada por Mario Martins e Roberto Pinto Ribeiro, ambos da SPPA. O primeiro Conselho Diretor, (1969 a 1971) foi composto por membros da SBPSP: Durval Marcondes, Isaias Melsohn e Laertes Moura Ferrão.

A Revista Brasileira de Psicanálise (RBP), que teve a sua origem na SBPSP em 1967, foi doada à ABP pela SBPSP em 21 de abril de 1971. A RBP estatutariamente tem sede em São Paulo, e tem como editor e editor associado, membros da SBPSP nomeados por sua Diretoria. Hoje a RBP é um patrimônio científico importante da FEBRAPSI.

A FEBRAPSI também publica o jornal FEBRAPSI Notícias desde 1995, quando tinha originalmente o título de Jornal da ABP.

Paulatinamente a ABP foi se consolidando como entidade federativa congregando, além das Sociedades, também os Grupos de Estudos formados com o reconhecimento oficial da IPA.

Até 1991 o Conselho Diretor era composto por membros de uma única Sociedade e, rotativamente, a cada dois anos a entidade mudava de sede e de cidade.

Na gestão de 1991-1993 foi proposta uma mudança radical na estrutura da ABP, que viria a modificar a relação da entidade com as sociedades componentes, e de seus membros com ela. As diretorias passariam a ser eleitas por todos os membros, sendo as chapas compostas por colegas de várias e diferentes sociedades. Foram criados o Conselho de Presidentes e o Conselho de Delegados compostos de todas as Sociedades e Grupos de Estudo, com direitos iguais entre si. Foi decidido também que a sede seria na cidade do Rio de Janeiro.

A primeira gestão a assumir esse novo formato foi a de Luiz Emmanuel de Almeida Levy, em 1993.

Em 14 de março de 1996, a ABP adquiriu o imóvel que até hoje é a sede da Revista Brasileira de Psicanálise em São Paulo. Em 11 de junho de 1996, a ABP adquiriu o imóvel da atual sede da Federação Brasileira de Psicanálise no Rio de Janeiro.

Na gestão de 1997-1999 instalaram-se algumas comissões visando a ampliação do escopo e a integração entre colegas de diversas regiões. O Conselho Diretor passou a se reunir em diferentes cidades, sedes de Sociedades, Grupos de Estudos e Núcleos, organizando e participando de atividades científicas nesses locais, tornando a federação mais conhecida e facilitando a interação da entidade com seus membros, e destes entre si.

A ABP passou a ocupar espaço oficial nas reuniões latino-americanas, inclusive participando da reorganização dos estatutos da FEPAL. Passou também a ser reconhecida pela IPA, cujo presidente da época convidou o presidente da ABP para defender a proposta brasileira da oficialização, pela IPA, das análises concentradas (quatro sessões concentradas em dois dias da semana), importante para o desenvolvimento da psicanálise em nosso país.

Em 13 de agosto de 1999 uma Carta de Princípios Éticos foi aprovada pelo Conselho Diretor.

Em 15 de junho de 2002, o Conselho Diretor aprovou as “Normas para o Intercâmbio Científico”.

Na gestão de 2005-2007, houve grande apoio à formação de núcleos em distintas cidades brasileiras. Intensificaram-se as relações com a Associação Brasileira de Psiquiatria e com o movimento “Articulação das entidades Psicanalíticas”.

Na gestão de 2007-2009, foi desenvolvido um intenso trabalho nas universidades visando à divulgação da psicanálise.
Em 29 de março de 2008 o nome da ABP foi alterado para Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI) com a finalidade de ressaltar o caráter federativo da instituição e sua amplitude nacional. O Estatuto da FEBRAPSI foi reformulado e aprovado pela Assembleia de Delegados.

No XXII Congresso Brasileiro de Psicanálise, realizado no Rio de Janeiro em 2009, pela primeira vez foi formada uma mesa com a participação de profissionais pertencentes a grupos psicanalíticos não filiados à IPA.

O XXIII Congresso Brasileiro de Psicanálise, realizado em 2011, ocorreu na cidade paulista de Ribeirão Preto, seguindo a orientação da FEBRAPSI de difundir e levar a psicanálise ao interior do país. Nesse mesmo sentido, o XXIV Congresso Brasileiro de Psicanálise, realizado em setembro de 2013, teve como sede a cidade de Campo Grande no estado do Mato Grosso do Sul.

Em 28 de novembro de 2015, em Assembleia de Delegados, foi aprovada a criação da Diretoria de Comunidade e Cultura, entendendo a importância de alargar seus horizontes para fora dos consultórios e para favorecer o dialogo entre a Psicanálise, o social e a comunidade, visando criar ações nascidas deste dialogo.